Destaque 1 Volta Redonda

Em três semanas, número de mortes em casa dobra em Volta Redonda


Por Tribuna

De 1º a 23 de maio, 19 pessoas morreram em casa em Volta Redonda – esse número é o dobro do mesmo período de 2019, quando tiveram oito óbitos em residência. Os 19 casos correspondem a 12% dos óbitos totais da cidade no igual período – 172 mortes (diversas causas).

As informações são da funerária municipal da cidade. Ainda segundo a funerária, a pessoa mais velha foi um idoso de 96 anos e mais novo de 28. As causas das mortes não foram disponibilizadas à equipe de reportagem.

Como acontece em todo mundo, houve um aumento nos casos de óbitos em casa. A explicação de especialista aponta duas hipótese: as pessoas estão receosas de irem às unidades de saúde por conta do novo coronavírus ou a morte é súbita (ataque cardíaco). Tem ainda a evolução veloz no coronavírus.

Samu removendo corpos

O Governo do Estado pode ser autorizado a realizar convênios com as prefeituras do estado para remoção de cadáveres em residências por meio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (SES).

É o que propõe o projeto de lei 2.552/20, que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, em discussão única, na semana passada.

A proposta segue para o governador Wilson Witzel, que tem 15 dias úteis para sancionar ou vetar.

De acordo com a medida, que valerá enquanto perdurar o estado de calamidade por conta da pandemia do Covid-19, a remoção dos corpos de pessoas que faleceram em suas residências será realizada em até 12 horas após solicitação.

A atividade ficará sujeita aos padrões, normas e fiscalização da SES. O governo poderá firmar parcerias com as prefeituras para arcar com as despesas do sepultamento quando a remoção do corpo for realizado pelo SAMU.

Segundo deputados estaduais, há relatos de dificuldades na remoção dos corpos das pessoas que foram contaminadas pelo novo coronavírus e faleceram em casa.

Com o avanço da pandemia, há casos em que os cadáveres permanecem nas residências por até três dias após o falecimento.

1 Comentários

    • Luiz 09:05

      Essas mortes põe na conta desse prefeitinho fascista, comunista. E todo desemprego causado em Volta Redonda. Ele foi o causador de tudo. Por só querer aparecer pensando nas próximas eleição.

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!