Política

Presidente da Câmara se manifesta contrário à construção de presídio em Volta Redonda


Por Tribuna

O presidente da Câmara de Volta Redonda, Nilton Alves de Faria, o Neném (DEM), se manifestou na tarde desta segunda-feira (27) contrário à construção de um novo presídio na cidade. A unidade prisional seria vertical, com seis prédios de 11 andares cada – com mais de cinco mil vagas. O primeiro será em Volta Redonda.

Para Neném, o assunto deveria ser discutido com toda a população e não apenas uma decisão do governo do estado

— A construção ou não de um presídio em Volta Redonda deve ser discutida com toda a sociedade. As péssimas condições da segurança pública em nossa cidade não deixam dúvidas de que essa não é uma decisão para ser tomada em um gabinete, anunciada em um jornal da capital — disse Neném, em nota divulgada à imprensa.

“Temos de saber, por exemplo, a localização, se haverá contrapartida em alguma instância.Da forma como foi anunciada, sem prévio aviso à nossa sociedade, já me coloco totalmente contra esse novo presídio”.

Ele lembrou ainda que  Volta Redonda já deu sua contribuição para amenizar os problemas da superpopulação carcerária do estado, com a Casa de Custódia e uma unidade do Degase.

— Antes do debate, nada de presídio. Queremos é a redução no número de assassinatos, do número de roubos, de assaltos e de tantos crimes que tornam nosso dia a dia mais inseguro — finalizou o presidente da Câmara.

Volta Redonda será o primeiro município do estado do Rio que receberá o presídio vertical – conhecido como CPV  (Conjunto Penal Vertical). Serão abertas cinco mil vagas, que serão distribuídos em seis prédios com 11 andares cada um. O local não foi definido. Porém, deverá ficar no bairro Roma, onde está localizada a Cadeia Pública da cidade e a unidade do Degase, de menores infratores.

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!