Brasília

Bolsonaro defende medicamento e ataca governadores e prefeitos



Em pronunciamento transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão na noite desta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro defendeu o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 desde a fase inicial da doença. No discurso, ele contou que conversou com o cardiologista Roberto Kalil Filho , que admitiu ter usado o medicamento para se tratar da enfermidade.

— Após ouvir médicos, pesquisadores e Chefes de Estado de outros países, passei a divulgar, nos últimos 40 dias, a possibilidade de tratamento da doença desde sua fase inicial. Há pouco, conversei com o Dr. Roberto Kalil. Cumprimentei-o pela honestidade e compromisso com o Juramento de Hipócrates, ao assumir que não só usou a Hidroxicloroquina, bem como a ministrou para dezenas de pacientes. Todos estão salvos — declarou Bolsonaro.

Parabenizando o médico, que atende ex-presidentes Lula e Dilma, ele mencionou que o protocolo de testes ainda não foi finalizado, mas disse que Kalil relatou ter ministrado o medicamento agora, “para não se arrepender no futuro”.

– Essa decisão poderá entrar para a história como tendo salvo milhares de vidas no Brasil – comentou.

No pronunciamento, Bolsonaro reforçou a ideia de que é preciso resolver simultaneamente os problemas do novo coronavírus e do desemprego e deu um recado a governantes que adotaram medidas de isolamento, criticadas por ele desde o início da crise:

– Respeito a autonomia dos governadores e prefeitos. Muitas medidas, de forma restritiva ou não, são de responsabilidade exclusiva dos mesmos. O Governo Federal não foi consultado sobre sua amplitude ou duração. Espero que brevemente saiamos juntos e mais fortes para que possamos melhor desenvolver o nosso país – afirmou.

No início de sua fala, que durou quase cinco minutos, ele disse que seu papel como presidente é “olhar o todo, e não apenas as partes” e apontou que seu objetivo principal sempre foi salvar vidas.


Deixe seu comentário

error: Content is protected !!