Cafezinho com Roger Soares Colunas

Bolsonaro e a educação
Por Roger Soares


Cafezinho quente. Pães à mesa e mãos à obra… Assim meu comentário de hoje se reflete sobre o medo que muitos sentem do capitão do Exército, deputado Federal e nosso 38º Presidente: Jair Messias Bolsonaro.

No site brasil247 há uma declaração de medo explícito publicada na segunda feira 31/12/2018, como segue abaixo a nota:

“Na véspera de sua posse como presidente, Jair Bolsonaro praticamente declarou guerra à Educação brasileira e aos professores e professoras; lançou um tweet na manhã desta segunda afirmando que uma das metas de seu governo será “combater o lixo marxista que se instalou nas instituições de ensino”; Bolsonaro afirmou que a educação no país forma “militantes políticos” e que passará a formar “cidadãos”; texto sinaliza início de um período de perseguição nas escolas e especialmente nas Universidades federais do Brasil…”

Puro desespero de quem por incapacidade técnica e intelectual quer continuar enganando a população menos esclarecida. O que será combatido; e eu posso falar com propriedade sobre o assunto, afinal de contas comungo do mesmo ideal do presidente, inclusive, somos membros do mesmo partido.

O que será combatido com veemência será o resultado péssimo que temos no PISA (Programme International student Assissment) um programa internacional de avaliação de alunos, onde o marxismo nos tem feito apenas passar vergonha constante. É isso que os pais querem aos filhos deixar eles semelhantes a amebas? É claro que não.

Será combatido a péssima formação escolar, pois mal formado o estudante; teremos no futuro, mais um desempregado ou mal profissional, que mal produz, mal vive, mal conduz sua própria vida, mal gera seus filhos e mal os educa fechando o circulo vicioso.

Não podemos mais nos permitir continuar formando militantes políticos e descerebrados, que acham que o governo federal é obrigado a sustentá-los. A educação no Brasil vai passar por um mecanismo corretivo “ipsis literis” e voltar a ser como foi nos anos 60, 70 e início dos anos 80, onde os alunos iriam para as escolas para absorver conhecimento e para aplicá-los em sua vida adulta. E enquanto tínhamos as cartilhas Caminho Suaveda autora que nos ensinou a ensinar Professora Branca Alves de Lima, tínhamos qualidade de ensino, que hoje, nem resquícios conseguimos encontrar…

Finalmente iremos ver sair de nossas escolas cidadãos e não militantes. Uma mudança necessária e tão esperadapor todos os cidadãos de bem desse país.

Roger Soares é militar da reserva, ex-bombeiro no Estado de São Paulo, técnico em emergências médicas, apicultor, professor de educação física, e consultor de negócios e investimentos.

2 Comentários

    • Vera lun 18:30

      Muito bom o governo deveria no final dos próximos anos colocar todos em serviço militar para educar,dar limites e a prender a respeitar ao seu próximo e o gosto da leitura e amor a pátria.

    • Ramona Macedo 19:25

      Excelente o seu artigo! Parabéns! !!! Precisamos de gestores públicos com este pensamento se quisermos vencer as questões sociais que tanto nos abatem! Gostaria muito de ter vc como uma alternativa revolucionária nas próximas eleições municipais.

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!