Cafezinho com Roger Soares Colunas

Farms here forest there (Parte 2)


Por Roger Soares (*)

No cafezinho de hoje, com grãos devidamente selecionados, nós vamos retornar ao assunto sobre agricultura e Agronegócios, que usam a classe artística como massa de manobra para tentar tutelar o povo brasileiro, no que tange a critérios de sustentabilidade, ecologia e meio ambiente, apenas como pano de fundo apenas para retirar de nós, uma riqueza que temos todas as chances de conquistar.

Pois bem, agricultura moderna de hoje iniciada e incentivada, no governo do Presidente João Batista de Oliveira Figueiredo, ainda nos anos 1980 com refrão: plante que o João garante!

Hoje um sucesso, sem precedentes, onde batemos recordes sobre recordes com apenas 10% de solo ocupado.
Última safra de grãos chegou a duzentos e quarenta milhões de toneladas 8 vezes mais do que a colheita de 45 anos atrás. Cada safra dá para alimentar cerca de 5 vezes a população brasileira.

Nossa agricultura em 2018, poderia alimentar um bilhão de pessoas. O Brasil é hoje, o maior exportador mundial de soja, açúcar, suco de laranja, carne vermelha, carne branca e claro café! E somos o segundo maior produtor de milho, e estamos nas cinco primeiras colocações em diversos produtos.

O cálculo do índice de inflação teve de ser mudado para refletir a queda do custo da alimentação familiar resultado do aumento de produção.

A nossa produção de soja equivale a produção dos Estados Unidos, somos juntamente com eles, os campeões mundiais e mais de 60% dos cereais brasileiros, graças ao maquinário são cultivados no sistema de plantio direto, que reduz o uso de fertilizantes químicos, graças às tecnologias de tratamento do solo, e que por sua vez permitem, uma imensa economia no consumo de óleo diesel e resulta, no contrário, do que nos acusam dia e noite, pois isso diminui a emissão de carbono, que causa tantas neuroses nos neuróticos europeus, principalmente, daqueles burocratas, que trabalham em Bruxelas!

Tudo isso parece solução, mas no Brasil de Caetano Veloso, Gilberto Gil, preta Gil, Clara Gil, Gisele Bündchen, Wagner Moura, Letícia Sabatella, Letícia Colin, Jô Soares, Marcelo D2, Victor Fasano, Letícia Spiller, Daniela Mercury, Mano Brown, Chico Buarque de Holanda, Marieta Severo, Osmar Prado, José de Abreu, Tico Santa Cruz, e outros é um problema!

Acontece que os países ricos defendem com ferocidade seus agricultores, mas encontram nas mulas zurrantes e em todos esses artistas, nominalmente citados por mim, neste argumento, bem como encontram também nos intelectuais de esquerda, ambientalistas e pseudo ambientalistas, bem como em outros oportunistas que aqui no Brasil, os agricultores e pecuaristas que movimentam a economia do país, são bandidos.

A verdade é que é estúpida classe artística do Brasil; desprovida de todo o conhecimento necessário e sensato sobre a causa; resolveu bater de graça, em quem produz a riqueza que a classe deles consome, aliás alimentando-se bem.

Nosso cafezinho ainda continuará com qualidade tipo Exportação para encerrarmos esta trilogia que a ONG: FARMS HERE FOREST THERE tenta impor sobre o Brasil e sobre os brasileiros.

(*) é empresário.

 

1 Comentários

    • wallace Marins 10:37

      Esses artista não sabem nem o que é uma terra vermelha, muito menos o que é agricultura…
      Eles acreditam que tudo é feito artificialmente, são famosos criados com leite de pêra que possivelmente sofreram bullying na infância…

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!