Destaque 1 Outros

Ocupação de leitos de UTI chega a 48% em Volta Redonda



A Prefeitura de Volta Redonda atualizou nesta segunda-feira, dia 13, os dados sobre o coronavírus na cidade. Os casos confirmados agora são 2.435 e os notificados como suspeitos chegaram a 10.411. A cidade tem 97 óbitos.

Os curados são 1.816 e 3.528 exames deram negativos. Houve um aumento de 0,1% dos casos suspeitos, ocupação de 10% dos leitos do Hospital de Campanha e 48% dos leitos de UTI da rede municipal.

Centro Municipal

A Prefeitura de Volta Redonda retomou nesta segunda-feira, dia 13, a oferta de consultas para nove especialidades médicas. O atendimento com hora marcada está sendo feito no Centro Municipal de Saúde (antigo Santa Margarida), no bairro Niterói, que passou a sediar o serviço ambulatorial especializado da Policlínica da Cidadania Bernardino de Souza, que funciona no Estádio Raulino de Oliveira, e do Hospital São João Batista.

As consultas médicas com especialistas foram interrompidas no município desde o final do mês de março por conta da pandemia da Covid-19.

O prefeito Samuca Silva foi conferir de perto o primeiro dia de atendimento ambulatorial no Centro Municipal de Saúde. Ele conversou com médicos e pacientes e também visitou as instalações da nova sede da Secretaria Municipal de Saúde, que passou a funcionar no local.

“Estamos retomando a oferta de consultas com especialistas gradativamente. A princípio serão quase 650 atendimentos por semana. O número limitado de pacientes faz parte das medidas de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus”, avisou Samuca, lembrando que o local passou por sanitização na manhã desta segunda, outra ação de controle do vírus no município.

Ele conversou com Aresia Maria da Silva, que se consultou com pneumologista; e Célia Maria, que foi atendida por endocrinologista. As duas têm doenças crônicas e ficaram contentes com o retorno das consultas. “É muito bom voltar ao médico e me senti segura com o esquema de segurança contra a Covid-19 adotado durante o atendimento”, afirmou Aresia.

Maria Luiza da Silva Santos, moradora do bairro Candelária, aguardava consulta com cardiologista. “Faço tratamento há mais de 30 anos e não descuido da saúde. Gostei que a sala de espera estava vazia, sem aglomeração. O espaço também é bem confortável. Também fui informada que tenho exame marcado para esta semana. É bom saber que, aos poucos, o atendimento na saúde será normalizado”, falou.

A secretária de Saúde de Volta Redonda, Flávia Lipke, explicou que a fusão do atendimento especializado à população no Centro Municipal de Saúde foi necessária, pois o Hospital de Campanha para a Covid-19 funciona no mesmo local da policlínica. “Não podemos oferecer riscos aos pacientes”, disse, lembrando que, também para evitar o contágio pelo novo coronavírus, serão ofertadas 14 consultas para cada especialidade por dia, com intervalo de 30 minutos, no primeiro andar da unidade, entre 7h e 17h, de segunda à sexta-feira.

A regulação para as especialidades cardiologia, endocrinologia, gastroenterologia, neurologia, pneumologia, reumatologia, ortopedia, urologia e dermatologia obedece ao critério de gravidade. “Os pacientes que apresentam maior risco de agravamento do estado de saúde têm prioridade”, falou Flávia.

Cada especialista será responsável pela regulação de seus pacientes em relação ao retorno ao consultório. Já as consultas de primeira vez são agendadas pelo Sisreg (Sistema de Regulação), também considerando o critério de gravidade. As demandas para as demais especialidades médicas serão acolhidas pelas unidades da Atenção Básica, que vão direcionar os casos para os especialistas para avaliação.

 

 


Deixe seu comentário

error: Content is protected !!