Cafezinho com Roger Soares Colunas

Quando os zurrantes polemizam até a solidariedade natalina alheia.
Por Roger Soares


Vamos ao nosso cafezinho de hoje e nele vou tratar de assuntos natalinos, ou seja, o meu café de hoje será com chantilly, espero que gostem, mas indo ao foco:

A Perdigão lançou no dia 26/11 sua campanha de Natal, adotando pelo terceiro ano consecutivo a ação “Você compra um Chester, a Perdigão doa outro”.

Este ano, no entanto, o comercial “Generosidade gera Generosidade” foi acusado de racismo por alguns “consumidores”? Ė isso mesmo? Só porque, no comercial, a família que compra o produto é branca e a família, que recebe é uma família negra?

As pessoas que reclamam e que se passam por “ofendidas” com a solidariedade da marca, dona dos chester, podem ser qualquer coisa, exceto clientes da empresa e muito menos pessoas com a boa vontade e amor altruísta, que o espirito natalino pede.

Os demagogos de plantão e defensores do “mi mi mi” alegam que existe, uma clara diferença no trato das famílias; criou-se, um debate cheio de frescuras e bobagens nas redes sociais; fazendo a campanha chegar aos trend topics do Twitter.

Enquanto alguns, se é que posso chamar de “consumidores” acusaram a marca de ser racista, outros defenderam a proposta social da propaganda.

Em comunicado sóbrio à imprensa, muito bem elaborado por sinal, com seriedade, transparência e elegância, necessárias de uma marca retilínea, e que presa pela resposta ao público, a empresa “lamenta” que a campanha publicitária de Natal tenha ofendido os brasileiros:

“Nunca foi essa a nossa intenção. Falar de generosidade é uma forma de união e agradecimento a todos os nossos consumidores, que, há três anos, colaboram para o Natal de mais de 6 milhões de pessoas, independente de cor, gênero, raça ou religião”.

A ação social da Perdigão propõe doar um Chester, a uma família carente cadastrada no programa “Mesa Brasil”, do Sesc (Serviço Social do Comércio), a cada produto comprado neste fim de ano, entretanto tem gente que parece não querer isso!

A expectativa é que sejam doadas 250 mil aves, este ano e que para muitas famílias, negras, brancas e pobres será a única opção de alimento!

Eu vou ficar aqui, me deliciando com o meu café especial e quanto aos críticos de ações solidárias tão “úteis” ao país; neste Natal eu vou oferecer a vocês duas opções de presente: Feno ou alfafa? Podem escolher é um presente que vocês merecem!

Roger Soares é militar da reserva, ex-bombeiro no Estado de São Paulo, técnico em emergências médicas, apicultor, professor de educação física, e consultor de negócios e investimentos

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!