Destaque 1

Vereador diz que está sendo ameaçado por conta da Marcha da Maconha




O vereador de Volta Redonda Betinho Albertassi, que também é comunicador, diz que vem recebendo ameaça nos últimos dias. Motivo: se posicionou contra a “Marcha da Maconha”, que está prevista para ocorreu no próximo dia 29, no domingo. Ele contou ao jornal aQui que as ameaças vem das redes sociais e também por ligações telefônicas.

O TRIBUNA entrou em contado com o parlamentar na noite desta sexta-feira (13) e ele confirmou a informação. “Sim, recebi várias ameaças e fiquei muito assustado quando recebi algumas mensagens e vi postagens de tom ameaçador. Em uma delas, em um vídeo, uma pessoa me xingava e apontava o dedo para a tela do celular me fazendo ameaças”, contou o parlamentar, ao jornal semanário, e detalhou:

— Algumas mensagens foram enviadas por perfis que parecem ser falsos. Outras foram postadas por internautas que nem se preocuparam em se esconder. Postaram as ameaças em seus próprios perfis. A maioria dizendo que a marcha aconteceria de qualquer forma e que não adiantava eu dizer que sou contrário ao evento, pois eles passariam por cima de qualquer um. Isso é ou não é uma ameaça?”— relatou o vereador, que também é pré-candidato a deputado estadual.

Ele continuou: “No início, eu conversei com alguns amigos da segurança pública; um deles chegou até me enviar um dos vídeos que encontrou e que foram postados, mas depois disso, pensei bem e decidi apenas denunciar o caso na Tribuna da Câmara de Vereadores de Volta Redonda”.

— Expus minha contrariedade à Marcha da Maconha e falei que estava recebendo esse tipo de mensagem — disse, indo além. “Não vou mudar meu posicionamento em relação à Marcha da Maconha. Muito pelo contrário. Agora é que vou intensificar a luta para que ela não aconteça”.

Betinho aberto ao diálogo para debater o tema na esfera medicinal: “Estão querendo banalizar e liberar o uso de uma droga, o que não concordo. Em relação ao uso medicinal, já me coloquei à disposição para tratarmos do assunto em audiência pública na Câmara, com médicos, especialistas”

Por outro lado

Outro lado, há políticos que são a favor do Marcha da Maconha de Volta Redonda como é o caso do ambientalista e ex-ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc.

— Participo da Marcha da Maconha há 20 anos no Rio, inclusive a última que ocorreu na semana passada. É um movimento pacífico e está baseado em leis constitucionais. O Supremo Tribunal Federal já decidiu e é permitido o direto de manifestação. O supremo decidiu pela direto de manifestação e não pela repressão — disse Minc.(veja o vídeo do ex-ministro no link abaixo)

Pelo Instagram, os organizadores pedem para não fumem durante a marcha. Disse que isso é para evitar que os participantes não sejam enquadrados no artigo 33, do Código Pena, que tem uma pena de 5 a 15 anos de prisão e multa.

— Vamos fazer um protesto seguro e mostra para Volta Redonda que a Marcha da Maconha vai além da discussão de fumar ou não fumar — afirmaram os organizadores, que prosseguiu:

“Marchamos pela busca de direitos sociais. Marchamos pela vidas periféricas que são ceifadas todos os dias pela guerra do tráfico. Marchamos pelas crianças que fazem usos da cannabis medicinal para melhorar a qualidade de vida”, escreveram os organizadores.

A concentração do evento será na Praça Juarez Antunes, na Vila Santa Cecília, a partir das 15 horas. De lá, os participantes seguirão até a Praça da Escola Técnica, no bairro Sessenta.

https://www.instagram.com/reel/CdgveQNjvWw/?igshid=YmMyMTA2M2Y=

 


Deixe seu comentário

error: Content is protected !!
close