Volta Redonda

VR: Washington Uchôa deixa na Secretaria da Pessoa com Deficiência




A favor da inclusão social das pessoas com deficiência (PCDs), Washington Uchôa esteve à frente da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPD) de Volta Redonda de 2021 a 2024. Nesta segunda-feira, dia 1º, o secretário cumpriu seu último compromisso oficial à frente da secretaria, no gabinete do prefeito Antonio Francisco Neto. Uchôa está se afastando do cargo devido a compromissos políticos, com isso quem assume a SMPD é Eliete Vasques – ex-coordenadora da secretaria.

O secretário destacou as principais conquistas realizadas nesses três anos, para as pessoas com deficiência, em Volta Redonda, que vão desde a identificação para as deficiências ocultas, a exemplo da distribuição gratuita do “Cordão de Girassol”, até o ingresso no mercado de trabalho através da contratação de PCDs.

“Não tenho palavras para agradecer ao prefeito Neto e toda sua equipe, em especial a Secretaria de Comunicação, que sempre foram tão solícitos comigo. Agradeço também toda parceria dos funcionários da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPD). Retorno à Câmara com o coração tranquilo em saber que tudo que estava ao meu alcance foi feito, e não tenho dúvidas de que muito ainda será conquistado em nossa cidade para as pessoas com deficiência. Cada projeto, cada passo dado rumo à inclusão só me deu a certeza de que o trabalho foi bem feito. Agora, estamos no aguardo pela nova sede da SMPD que está ficando linda”, disse.

Além do investimento para a empregabilidade, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência também foi pioneira na qualificação com o lançamento, em 2021, da primeira turma para o curso superior de Administração – exclusivo e adaptado – para pessoas com deficiência, em uma parceria inédita com o UGB (Centro Universitário Geraldo Di Biase), no bairro Aterrado.

*Inclusão e acolhimento*

Quando o assunto é inclusão, a SMPD se mantém ativa em todos os setores do município no acolhimento às pessoas com deficiência. Um dos projetos, em especial para os deficientes visuais, foi a instalação de sinais sonoros nos semáforos dos principais centros comerciais de Volta Redonda, em parceria com a Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU), que visa auxiliar as pessoas sem ou com baixa visão ao atravessar a rua.

Atrelado às vias urbanas, a conscientização sobre as vagas exclusivas para as pessoas com deficiência e também para os idosos foi um dos pontos abordados nos últimos três anos pelo secretário. “Não só aqueles com deficiência visível, mas também os autistas têm prioridade em relação às vagas especiais. Nesse período, também fiscalizamos a questão da acessibilidade dos ônibus do transporte público”, lembrou Uchôa.

Outro ponto ressaltado ainda foi a comunicação, que é fundamental para que as pessoas com deficiência possam se expressar e obter informações em qualquer lugar. Pensando dessa forma, a secretaria criou o curso gratuito de Libras (Língua Brasileira de Sinais) para que qualquer morador de Volta Redonda pudesse fazer e agregar a lista de intérpretes, ampliando a linguagem.

*Central de atendimento e nova sede*

Na sede da SMPD, em funcionamento na Av. 17 de Julho, nº 20, no bairro Aterrado, há uma central de atendimento exclusiva para pessoas surdas, que ajuda no acompanhamento de consultas médicas, por exemplo, através de uma chamada de vídeo por tablet ou celular. Além do auxílio de um profissional com a tradução em libras.

E com o objetivo de ampliar os serviços, a secretaria vai ganhar uma nova sede, que será construída em terreno da prefeitura, ao lado do Centro de Atendimento para Pessoa Idosa com Alzheimer e Familiares – Centro-Dia Synval Santos, no bairro Jardim Paraíba.

O projeto, em dois pavimentos, contempla uma sala com foco no atendimento a pessoas com autismo; salas multissensorial e sensorial, ambientes equipados que estimulam os sentidos (visão, audição, olfato, tato e paladar), laboratório de tecnologia assistiva; auditório; cozinha; sala de aula para a realização de curso de Libras; espaços para terapia, audiovisual e biblioteca em braile. Além de uma equipe multidisciplinar com psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas, fonoaudiólogos, psicoterapeutas, assistentes sociais e pedagogos.

Foto de arquivo – Secom/PMVR.


Deixe seu comentário

error: Content is protected !!