Destaque 1 Porto Real

Peugeot: suspensão do 2ª turno pode gerar mil demissões em Porto Real


A Peugeot Citroën estuda encerrar o segundo turno da escala de turno em Porto Real. Se confirmada a decisão, mais de mil postos de emprego, entre diretos e indiretos, podem ser encerrados.

A medida faz parte de programa de readequação de custos da montadora francesa em função do baixo volume de vendas.

Mesmo estando em fase de análise, a possibilidade deixou em estado de alerta o Sindicato dos Metalúrgicos. Na quarta-feira (dia 7), representantes do órgão sindical encontraram com a direção a montadora para buscar mais informações.

“A Peugeot nos chamou para uma reunião e nos informou que precisaria fazer ajustes em função da queda no volume de vendas no merca- do interno e externo. Esses ajustes são mais conhecidos como demissão. Avisamos à empresa que há outras for- mas de se fazer ajustes na produção sem sacrificar o trabalhador”, disse o presidente do Sindicato, Silvio Campos.

O sindicalista argumenta que há sinais de recuperação na economia e por isso é necessário esgotar todas as possibilidades antes de uma medida mais drástica.

“É preciso dialogar, conversar até a exaustão, para que todas as alternativas sejam colocadas e não traga prejuízos aos trabalhadores. Se a em- presa insistir nas demissões, também vamos endurecer”, garantiu Silvio. As demissões afetariam também empresas do tecnopolo, como a MA e Benteler.

9 Comentários

    • Henrique 11:37

      Mas uma gracinha do sindicato as demissões já estão acertadas desde setembro

    • Roberto Carlos 13:21

      Empresa covarde. Já faz isso propositadamente. Quer isenção total de impostos e redução de vantagens trabalhistas para poder reduzir custos. Bando de cara de pau.

      • Rubem 17:21

        Não é bem assim meu amigo! Boa parte da produção, ouso dizer que a maioria, é destinada à Argentina, e já viu como está o mercado lá? Inflação? O mercado interno aqui no Brasil tem sinais de crescimento, porém o volume de vendas para a Argentina é bastante significativo.

      • Paulo Ricardo 11:20

        Entrei lá em 2002, era uma mãe esta empresa, realmente achei que tinha entrado em uma empresa que me aposentaria lá, de 2015 prá 2018, época que sai, parece que nem é mais a mesma empresa, bando de covardes, vivi o pior que vcs poderiam imaginar, e tudo isso pra quem não sabe é gestão brasileira, brasileiro ferrando brasileiro !

        Brasil ? ou brasileiro? qual seria o pior ?

    • Julio 18:22

      Uma reunião com as autoridades públicas
      competentes poderiam ajudar a resolver. Prefeitura, Estado, câmaras de vereadores, sindicatos. A situação está difícil, mais pessoas desempregadas na cidade de Porto Real, Quatis e Resende.

    • Jose 10:26

      Isso é o reflexo de uma empresa que é gestionada por amadores. Quem tiver a oportunidade pula logo desse barco por que em breve irá afundar!

    • Wolfgang Hellermann 10:30

      Também está prevista a transferência da montagem dos novos Peugeot 208 (Projeto P21) e 2008 (P24) para a Argentina em 2020. Como consequência da redução dos modelos montados em Porto Real, é preciso estarmos preparados, pois mais cortes do nosso pessoal ainda deverão ocorrer. . .

    • Marcos Paulo 11:47

      A questão Argentina é verdade. O País parou e com ele, os pedidos. Mas no Brasil o mercado subiu e a PSA caiu em função de uma política errônea da rede autorizada.
      Alguns modelos irão pra Argentina, mas outros projetos virão pra cá.
      A verdade é uma só. Os veiculos são bons, os preços compatíveis. Mas a política de vendas….

      • Noboyoshi Hayashibara 12:41

        O pós venda PSA também atrapalha muito. Além da qualidade dos serviços das concessionárias ser abaixo da expectativa, os preços das peças de reposição são fora da nossa realidade. Um disco de freio C4 Lounge vendido na rede como original custa quase R$ 1.000,00. Já no paralelo um disco praticamente igual custa R$ 250,00…

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!