Colunas

A vítima do Carrefour
Por Roger Soares


Hoje, nosso cafezinho será enfático; pois quem me conhece sabe que a maior preocupação social que o carrego comigo é com relação à criminalidade. Eu tenho certeza que é a impunidade e não como muitos defendem,alguns artistas, intelectuais e jornalistas; a falta de educação, que promove a violência atroz.

Com certeza vocês já devem saber do fato, descaradamente, covarde, que aconteceu em frente ao Carrefour de Osasco, no estado de São Paulo, onde um cachorro de rua; manso por sinal e querido por muitos, daquela localidade, inclusive sendo alimentado por moradores; foi covardemente espancado até a morte. O animal morreu, no centro de controle de zoonoses, onde tentaram socorrê-lo.

Somos todos seres dúbios, cada um de nós tem condiçõesde fazer, o bem através da parte cognitiva da mente, mas a parte límbica da mente é a responsável pela manifestação impulsiva de nos fazer errar, pois nossos atos não passam pelo crivo da razão.

O raciocínio lógico é: Quem fez isso foi um puxa saco! Ou alguém que queria mostrar serviço! Ou algum insensível! Ou alguém que simplesmente, se compraz com sofrimento de outros! Ou seja, fazer mal ao cachorro, passou pela mente criminosa do autor.

De onde veio a ordem; será que realmente quem ordenou queria a morte do animal? O Carrefour não se manifestou de forma direta, clara, concisa e objetiva como uma empresa séria dever fazer, sobre o assunto emitindo apenas uma reles nota de três linhas dizendo; que são contra maus tratos de animais, no final do texto temos mais problemas com esta empresa.

É duro para um ser humano como eu entender, porque um semelhante a mim pode maltratar e matar um animal manso, e indefeso ou uma pessoa idosa e doente, ou ainda criam nças de colo como bebês espancando-os até morte

Porque não há diferenças! Esses funcionários da segurança do CARREFOUR; será realmente, eles teriam feito a mesma coisa com bandidos fortemente armados em caso de assalto? Eu acho que não; simplesmente, porque a covardia sobressai nos momentos, em que a vítima, não tem a mínima chance de defesa!

Assim agiu o Carrefou  porque não viu gravidade no fato em sua nota à imprensa, assim agiu quem ordenou o segurança a espancar o cachorro e, assim, agiu esse criminoso, que presta serviços ao CARREFOUR, pois sabem que será muito difícil, a empresa e o agressor-assassino pagarem na justiça por esse ato.

Ou seja: provavelmente isso não dará em nada, porém eu convido a todos os leitores a NÃO COMPRAREM MAIS NADA NO CARREFOUR E NEM MESMO EM OUTRAS LOJAS DO GRUPO como a REDE ATACADÃO.

Não é a primeira vez, que o grupo apresenta problemas no Brasil, em 2007 houve 4 processos por violência, racismo e violência, além de uma execução de um homem por humilhação púbica contra empregados e violência infantil. Aliás nunca mais compro o meu café nesta empresa.

Roger Soares é militar da reserva, ex-bombeiro no Estado de São Paulo, técnico em emergências médicas, apicultor, professor de educação física, e consultor de negócios e investimentos.

Deixe seu comentário

error: Content is protected !!